Oclumência


quinta-feira, 24 de julho de 2014

Mexicano entra no Guinness com a maior coleção de Harry Potter

Artigo traduzido do Bloghogwarts



Lembram da Katie Aiani, a garota da Califórnia que já gastou mais de 100 mil dólares em produtos de Harry Potter? Parece que há alguém que leva vantagem no México! Menahem Asher Silva Vargas, um grande fã do menino bruxo, 37, foi reconhecido esta semana com o recorde de maior coleção de produtos de Harry Potter pelo Guiness Book! 

Com 3.092 peças, Menahen supera o recorde anterior, estabelecido em 807 peças, e que, além dos recortes de 373 revistas, revistas completas, cartazes, recortes de jornais e autógrafos que não são considerados na contagem. 

"Eu amo a história de Harry Potter. É a minha inspiração e meu estilo de vida. Eu amo a magia e quero ser conhecido mundialmente como o maior fã do 'menino que sobreviveu'."

Menahem começou sua coleção em 2001, entre as publicações dos livros de Harry Potter e o Cálice de Fogo e Harry Potter e a Ordem da Fênix. No mesmo ano estreava o primeiro filme Harry Potter e a Pedra Filosofal. 

A coleção inclui tudo: cartas, jogos de tabuleiro, bonecas e até um conjunto de réplicas de varinhas. O objeto favorito de Menahem é um ornamento de parede circular com uma foto de Harry na Câmara Secreta dado a ele por sua mãe. 

Apelidado de "Asher Potter" por seus amigos, Menahem espera que um dia os seus esforços para recolher tudo relacionado a Harry Potter sejam recompensados com a oportunidade de compartilhar com o resto do mundo. 

"Estou pensando em criar uma página na internet interativa e que algum dia eu possa compartilhar meus tesouros, e convidar JK Rowling, os atores que deram vida a esta história mágica e os fãs em todo o mundo. Esse é o meu sonho! 

Aqui estão algumas imagens da coleção de Menahen:





terça-feira, 22 de julho de 2014

Vida após Luna: Evanna Lynch tem paz e prosperidade



Tradução da entrevista feita pela Weekend Magazine e publicada pelo site Idependent. Traduzida por Nelson Filho e revisada por Alice Fagiolo.

            Ela é mais conhecida por seu papel como Luna Lovegood em 'Harry Potter', no entanto ela vai além disso. A conversa da atriz irlandesa com Tanya Sweeney versou sobre como trabalhar com a UNICEF e conquistar outra carreira como professora de yoga.
Prova positiva de que o fenômenoHarry Potter se espalhou pelos cantos mais distantes do globo: quando a atriz Evanna Lynch foi para as Filipinas com a UNICEF para testemunhar a devastação causada pelo tufão Haiyan recentemente, ela foi prontamente reconhecida como a excêntrica aluna de Hogwarts, Luna Lovegood.
“Essa coisa foi realmente estranha”, reflete ela de sua casa em Los Angeles. “Essas pessoas viviam em cabanas de lata e sem saneamento, mas eles tinham telefones com câmera e souberam imediatamente o que era 'Harry Potter'”.
“Na viagem, eu queria saber mais sobre o país e realmente colocar a mão na massa, mas tinha que agir como celebridade. Pensei comigo mesma 'isso é tão inútil', e eu me senti meio boba, para falar a verdade. Mas depois de um tempo eu disse a mim mesma: ‘supere isso!’. Essas pessoas querem esperança, e isso é o que as ajuda a longo prazo. O que elas querem é uma voz no mundo.
Logo fica claro que Lynch, que cresceu em Termonfeckin, vê esse trabalho como um dos benefícios de ser uma celebridade. Ela tem falado e escrito muito sobre outras questões e causas; de imagem corporal e casamento entre o mesmo sexo ao bullying online e MS. Mas longe de apenas pular de paraquedas nesses assuntos, ela vem aprendendo com eles ao mesmo tempo em que aprende sobre si mesma.
“Eu estou ciente da minha ignorância sobre os países que sofreram desastres”, diz ela. “Muitas vezes me peguei sentindo pena de mim mesma, e trabalho duro para combater isso. Nada te força tanto a ser grato por tudo do que estar em um país atingido por um desastre.”

domingo, 20 de julho de 2014

J.K. Rowling planeja uma série de livros de crime


Tradução da notícia publicada na BBC.

A série de crime de J.K. Rowling escrita sob o pseudônimo de Robert Galbraith irá – eventualmente – superar a quantidade de livros de Harry Potter, revela a autora.

O segundo romance sob o nome de Galbraith foi publicado em Junho, e ela disse que já estava na metade do terceiro. Jo fez um breve discurso em uma rara palestra no Festival de Crime Literário em Harrogate.

A história de Galbraith acompanha o detetive particular Cormoran Strike, um ex-militar que trabalha na Sessão de Investigação Especial. Rowling, que começou utilizando o pseudônimo em sua carreira no gênero criminal depois de completar a série Harry Potter, disse que o terceiro livro de Robert Galbraith centraria em seu retorno ao antigo trabalho. “O próximo livro é bem diferente”, disse. “Você irá descobrir bastante coisa sobre o que acontece com as pessoas que deixam o serviço militar”.
 
Rowling foi entrevistada no palco em Harrogate, North Yorkshire, na sexta-feira pela escritora escocesa Val McDermid, que também escreve sobre crimes.

McDermid perguntou a Jo se era verdade que ela iria escrever um total de sete livros sob o nome de Galbraith, e Rowling respondeu: “Não são sete. São mais. Não está muito definido. Eu realmente amo escrever esses livros, então eu não sei se eu tenho um ponto final em mente. Uma das coisas que eu absolutamente amo em escrever nesse gênero é que, diferentemente de Harry, onde havia uma história definida, um começo e um fim, logo você está falando de histórias diferentes. Então, enquanto um detetive estiver vivo, você pode ficar dando a ele casos”. Ela adicionou: “Eu já estou na metade do terceiro [livro] e eu acabei de começar a traçar o enredo do quarto”.

Vestindo um paletó cinza e uma gravata rosa, que ela descreve como sendo “minha roupa de Robert”, Rowling disse à audiência que começou a escrever sob um pseudônimo porque “Eu queria provar a mim mesma que eu conseguiria publicar um livro pelos méritos do próprio livro”. A identidade verdadeira da autora foi revelada em Julho, três meses depois da estreia da publicação de O Chamada do Cuco. “Enquanto durou, foi muito divertido”, ela disse sobre o pseudônimo de escritor. A sequência, The Silkworm (O Bicho-de-Seda, em tradução livre), foi publicado no mês passado.

Ao perguntarem porque ela escolheu escrever histórias de crime após a série Harry Potter, ela respondeu: “Eu amo ficção criminal. Eu sempre amei. E eu acho que, em vários momentos, os livros de Harry Potter são ‘investigações’ disfarçadas. “Eu acho que eu gosto da ‘era de ouro’ dos livros. E isso era o que eu queria fazer nesses livros – reunir aquele número definido de suspeitos, no estilo genuíno de investigação, mas fazê-lo de forma bastante contemporânea, modernizando de certa forma, e ter certeza de que essa é uma pessoa em que se possa acreditar com uma história verossímil para os dias de hoje.

Ao se referir da “era de ouro”, ela disse que ela era fã dos autores Agatha Christie, Dorothy L. Sayers, Margery Allingham e Ngaio Marsh, que escreveram na metade do século vinte. “Dos quatro, meu favorito é Allingham, e ela é a menos conhecida”, disse. “The Tiger in the Smoke (sem tradução oficial) é um livro incrível”.

Rowling também está trabalhando em seu primeiro roteiro cinematográfico para o spin-off de Harry Potter: Animais Fantásticos e Onde Habitam. “É algo desafiador e fascinante, e também realmente divertido”, diz sobre escrever um roteiro. “Mas mesmo sendo divertido, meu primeiro amor é definitivamente os livros.”

Créditos da imagem: Fenris Oswin/PA Wire

quinta-feira, 17 de julho de 2014

[RUMOR] Daniel Radcliffe vai para reabilitação para combater vício de cigarro




Artigo traduzido por Jefferson Alves do Daily Star (http://www.dailystar.co.uk)

Segundo o veículo Daily Star, Daniel Radcliffe, o astro amante de cigarros, agora irá para a reabilitação combater seus demônios com a fumaça cinzenta.

Há rumores de que Dan, 24 – que fuma normalmente 20 cigarros por dia – já está pronto para frequentar um centro de tratamento antitabagismo. Recentemente, ele tentou fazer hipnoterapia e fumar cigarros eletrônicos para se livrar do hábito, mas ambos falharam. Desesperado, Dan recorre a medidas extremas.
Fontes dizem: “Será um tipo de programa de tratamento residencial, que envolve sessões de orientação, tanto individual quanto em grupo, equilíbrio de estresse e tratamento à base de plantas para ajudar a diminuir os sintomas.

“Há também um programa completo de atividades e exercícios que incluem natação, corrida e yoga. Daniel sabe que ele tem uma personalidade que tende à dependência, e ele está sendo franco quanto a seus demônios alcoólicos. Felizmente, ele conseguiu se livrar da garrafa. Por isso, ele vê os cigarros como seu último grande vício para superar, e ele está confiante de que irá ganhar novamente.”

Por outro lado, um antigo hábito que Daniel Radcliffe se livrou foi o de interpretar o bruxo Harry Potter. A criadora J. K. Rowling, 48, revelou nessa semana um conto sobre Harry adulto. Mas o teimoso Dan, que atualmente grava uma nova comédia Trainwreck em Nova Iorque, insiste que ele não quer retornar para qualquer adaptação. Ele explicou: “Eu sou inclinado a dizer não. Eu não acho que isso é uma pergunta... nem mesmo hipotética. Harry é 12 anos mais velho do que eu sou agora". Justo. Principalmente porque não conseguimos imaginar o Sr. Potter com uma voz gutural e uma tosse asmática.